Alta velocidade, Espaço, Materiais, Meio ambiente

O problema do lixo espacial

O assunto deste post é lixo espacial, sua origem, os problemas causados e possíveis soluções para reduzir e eliminar este problema.

De onde vem o lixo espacial?

Muitos lançamentos deixaram grande quantidade de lixo espacial. Satélites, equipamentos inativos, estágios de foguetes e objetos destruídos por acidentes são as principais origens.

A quantidade só aumentou nas últimas décadas.

Problemas

Objetos no espaço se movem em alta velocidade e podem acertar naves, astronautas e estações em operação, danificando cabines pressurizadas, painéis solares, satélites de comunicações, constelação do GPS. Este é um painel solar danificado por detritos espaciais.

Um buraco feito por um pequeno objeto em um satélite.

A sucata no espaço pode limitar as missões espaciais, aumentando os riscos de acidentes e ocupar órbita útil. Em alguns casos, naves e estações tem que mudar a rota para evitar colisões. Alguns objetos espacias grandes podem cair na Terra e causar danos, embora a maior parte da Terra não seja habitada, o risco não pode ser negligenciado.

Possíveis soluções

Uma das soluções é construir estágios de foguetes que podem ser reaproveitados, como os foguetes da SpaceX.

Como estes estágios pousam no lugar certo? Primeiro, propulsores de gás frio são ativados para o estágio mudar de posição.

Depois, os motores principais são religados para alinhar o estágio com a trajetória de pouso.

Entrando na atmosfera, os motores principais são ligados novamente para diminuir a velocidade de descida do estágio.

Um complexo sistema de navegação e controle faz com que o estágio pouse exatamente na plataforma. As primeiras tentativas não deram certo.

Uma proposta para limpar o espaço é usar satélites que lançam rede no lixo espacial para ser retirado da baixa órbita terrestre (LEO) e conduzido para ser queimado na atmosfera. Esta é a missão e.DeOrbit da Agência Espacial Europeia.

Outras soluções consistem em usar lasers de alta potência, arpões ou ímãs em vez de redes. O programa Space Debris Elimination da NASA propõe lançar pulsos de gás atmosférico no caminho, para que o lixo espacial perca velocidade e caia na atmosfera.

Alguns satélites como o britânico TechDemoSat-1, lançado em 2014, possuem uma vela de arrasto para conduzir o satélite fora da órbita quando acabar sua vida útil.

Print Friendly, PDF & Email

About Pedro Ney Stroski

2 thoughts on “O problema do lixo espacial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *