Biologia, Educação ambiental, Meio ambiente, Visitas

Visita ao refúgio biológico Bela Vista

Visitei o refúgio biológico Bela Vista mantido pela Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu. Tem várias espécies de plantas e animais que habitam a América do Sul.

Sobre o refúgio Bela Vista

Foi criado em 1988 para proteger e aumentar a população das espécies ameaçadas de extinção da região. Neste refúgio, você passa pela mata ciliar, que fica à margem de rios e lagos com 1400 km² de extensão no Brasil e 1500 km² no Paraguai. Dentro deste refúgio, os filhotes têm uma taxa de sobrevivência acima de 70%.

Sedimentologia

A Itaipu Binacional monitora os sedimentos dos afluentes ao reservatório, coletando amostras e fazendo análises de turbidez, filtração, evaporação e granulometria. Os sedimentos causam assoreamento e podem reduzir a vida útil da geração de hidroeletricidade.

Animais

Na galeria de imagens, os animais ameaçados de extinção postados recentemente se encontram no refúgio Bela Vista. Neste post, vou mostrar outros animais, mas não são todos os animais deste refúgio. Este é um gavião-de-cauda-branca (Buteo albicaudatus), se alimenta de insetos, mamíferos, anfíbios e aves menores.

Este é o quati (Nasua nasua), encontrado em quase toda a América do Sul e muito comum no caminho das cataratas do Iguaçu.

Esta é a pomba-de-bando (Zenaida auriculata), se encontra em toda a América do Sul, menos na região amazônica.

Esta é a coruja-orelhuda (Pseudoscops clamator), pode chegar a 38 cm de comprimento e pesa entre 320 e 500g.

A cascavel (Crotalus durissus) é uma cobra peçonhenta. O chocalho é a única parte do corpo que não é trocada periodicamente.

A jararaca (Bothrops jararaca) tem hábitos noturnos e se esconde em tocas e troncos ocos.

Este é o furão (Galictis cuja), é muito ágil e se alimenta de roedores e pequenos répteis e aves.

O tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) está ameaçado de extinção, se alimenta de insetos e deixa resíduos e nutrientes na terra que servem como adubo.

Este é um cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), tem várias subespécies em várias regiões da América do Sul.

O cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus) é o maior cervídeo da América do Sul. Também pode ser encontrado no centro-norte da Argentina e está ameaçado de extinção.

Esta é a harpia, uma das maiores aves de rapina do mundo, mais informações sobre esta ave estão na galeria de imagens.

 

 

Print Friendly, PDF & Email

About Pedro Ney Stroski

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *