Espaço, Exploração, Luz, Telecomunicações, Temperatura, Termodinâmica

Notícia: A sonda que chegou mais próxima do Sol

A sonda espacial Parker foi a que chegou mais perto de uma estrela e foi divulgada a primeira imagem.

Fonte: Universe Today (Traduzido para o Português)

Fazem 124 dias desde que a sonda solar Parker foi lançada, e muitas semanas desde que fez a abordagem mais próxima que qualquer espaçonave fez em uma estrela. Agora, cientistas estão colocando as mãos nos dados da abordagem aproximada. Quatro pesquisadores na recente reunião da União Americana de Geofísica em Washington D.C. compartilharam o que eles esperam poder aprender da sonda. Eles esperam que os dados da sonda solar Parker venham ajudar a responder questões de décadas de idade sobre o Sol, sua coroa, e o vento solar.

A empolgação é sobre a primeira fase do encontro solar da SSP. De 31 de Outubro a 11 de Novembro de 2018, a Sonda Solar Parker completou seu primeiro encontro solar, acelerando através da atmosfera externa do Sol – a coroa – e coletando dados sem precedente com quatro instrumentos de ponta. A SSP vai orbitar o Sol 24 vezes, para 24 fases de encontros solares. Durante a missão, a sonda vai usar 7 Fly-bys com a assistência da gravidade de Vênus para incrementalmente encolher sua órbita ao redor do Sol.

O que é Fly-by? É o caminho percorrido por uma nave ou sonda espacial por um corpo celeste para coletar informações sobre aquele corpo.

Cada fase de encontro solar ocorre quando a sonda está dentro de 0,25 UA do Sol, e durante estes tempos os instrumentos científicos vão coletar dados. A sonda será exposta a extremos calor e radiação durante este tempo, e não pode se comunicar. Apenas quando sai desta fase é que pode mandar dados para a Terra para os heliofísicos ponderarem.

Esta é a imagem da coroa tirada pela sonda.

Fonte: NASA.

Quando a missão SSP foi projetada, cientistas queriam abordar três importantes questões em relação à heliofísica.

  • Como a atmosfera externa do Sol, a coroa, é aquecida a 300 vezes maior que a superfície visível abaixo?
  • Como o vento solar é acelerado tão rápido para altas velocidades que observamos?
  • Como algumas das partículas mais energéticas do Sol se afastam do Sol a mais da metade da velocidade da luz?

Com a sonda Parker, pode-se entender melhor a erupção solar e a ejeção de massa coronal. Estes fenômenos já foram descritos aqui no site. Clique nos botões para ler os posts.

Erupções solaresClique aqui

Ejeções de massa coronalClique aqui

Print Friendly, PDF & Email

About Pedro Ney Stroski

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *