Eletrônica, Eletrônica automotiva, Eletrônica de potência, Eletrônica embarcada, Mecânica, Novas tecnologias

Como funciona o carro elétrico? (Parte 2)

Esta é a segunda parte do funcionamento do carro elétrico. É explicado outros componentes e suas funções.

Para ver a primeira parte, clique no botão abaixo.

Carro elétrico (Parte 1)Clique aqui

Conversores

Carros elétricos usam conversores DC/DC abaixadores ou buck, pegam a tensão DC da bateria e abaixam o nível para alimentar outros sistemas eletrônicos como sensores e instrumentos. Além de recarregar baterias auxiliares.

Alguns carros elétricos têm conversores para fornecer uma tensão de entrada para inversores. O funcionamento dos conversores será assunto para outro post.

Freio regenerativo

No motor de indução, a velocidade do rotor é menor que a velocidade do campo magnético ou velocidade síncrona n_{s}. Porém, se o rotor girar mais rápido que n_{s}, este se torna um gerador.

Quando o motorista tira o pé do acelerador, o inversor manda um sinal de torque negativo para o motor, mudando o sentido de rotação do campo. A velocidade do campo magnético é reduzida e fica menor que a do rotor. A corrente induzida que circula no rotor produz um campo magnético. A energia gerada no motor é usada para recarregar o conjunto de baterias. Carros híbridos como o Toyota Prius também usam freio regenerativo.

Nos carros de combustão interna, a energia cinética do freio é desperdiçada em forma de calor. Causado pelos atritos da roda e discos de freio. O carro elétrico ainda usa os discos de freio para o veículo parar completamente. Na figura abaixo, a parte laranja da seta é quando o freio é pressionado, comparando o carro regular a combustão com um elétrico modelo S.

Transmissão

O carro elétrico não tem transmissão de marchas, porque o motor de indução é eficiente em várias condições. A caixa de engrenagens entre o motor elétrico e o eixo das rodas é para aumentar o torque e diminuir a velocidade de rotação.

Para dar ré, basta mudar a ordem das fases para o motor.

Sistema de refrigeração

Como dissipar o calor das baterias e outros componentes? Um líquido refrigerante, mistura de água e etileno glicol, é usado para absorver o calor. O etileno glicol (C_{2}H_{6}O_{2}) é transparente e também tem propriedades anticongelantes, pois baterias também se degradam a temperaturas muito baixas. Esta é a molécula do etileno glicol.

A mistura passa pelos módulos de baterias, absorve o calor e vai para um trocador de calor, onde este é dissipado para fora do veículo. Cada carro elétrico tem sua arquitetura de resfriamento.

Outros veículos elétricos da Itaipu Binacional

O programa Veículo Elétrico da Itaipu Binacional não apenas constrói carros, também fabrica veículos de carga e de passageiros. Este é o primeiro caminhão elétrico da América Latina, construído em parceria com a Iveco. Se chama Daily Elétrico, lançado em 2009 e tem 100 km de autonomia.

O Agrale Marruá Elétrico é um veículo com tração 4×4, desenvolvido em parceria com as empresas Agrale e Stola do Brasil. Tem autonomia de 100 km e baterias de sódio recarregáveis.

 

Print Friendly, PDF & Email
Liked it? Take a second to support Electrical e-Library on Patreon!

About Pedro Ney Stroski

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *