Eletrônica, Eletrônica automotiva, Eletrônica de potência, Eletrônica embarcada, Mecânica, Novas tecnologias, Temperatura

Funcionamento do veículo híbrido

Foi publicado um post sobre a comparação entre veículos elétricos e movidos a combustão. Por quê não combinar as vantagens de ambos e criar o veículo híbrido? É o assunto deste post.

Clique no botão abaixo para ler o post de comparação.

Elétrico x CombustãoClique aqui

Os motores

O veículo híbrido tem 2 motores: um elétrico e outro movido a combustão interna. O motor elétrico é usado quando o de combustão interna não é eficiente: na partida e em baixa velocidade. Pois o motor a combustão tem um torque fraco em baixa velocidade. Os gráficos mostram o torque e a potência (Power) em função da velocidade em RPM dos motores a combustão (ICE) e elétrico respectivamente.

Em velocidades maiores, os motores elétrico e a combustão movem o veículo híbrido. Na frenagem, o motor elétrico age como um gerador e a bateria é recarregada por freio regenerativo. Na parte 2 dos carros elétricos, já expliquei o funcionamento do freio regenerativo, clique aqui para ver.

Alguns carros híbridos têm um gerador ligado ao motor a combustão para recarregar a bateria.

Dispositivo de distribuição de potência

Este componente é muito importante para os veículos híbridos, é um conjunto planetário de engrenagens que liga os dois motores e o gerador. A engrenagem central em verde é ligada ao gerador, as engrenagens planetas em azul são ligadas ao motor a combustão e a engrenagem anel é ligada ao motor.

Tipos de veículos híbridos

Atualmente existem três tipos de veículos híbridos.

  • Híbridos em paralelo: A transmissão das rodas é conectada à ambos os motores. Porém, a principal fonte de potência do veículo é o motor a combustão interna. Este veículo híbrido não pode operar no modo elétrico. Este tipo pode ter uma bateria com capacidade menor e é mais eficiente em alta velocidade.

  • Híbridos em série: O motor a combustão serve para movimentar um gerador que alimenta o motor elétrico e as baterias. Somente o motor elétrico é ligado à transmissão que movimenta o veículo. É mais eficiente em baixa velocidade e em situações onde o carro para e liga com frequência.

Esta é a arquitetura dos tipos paralelo e série.

  • Híbridos combinados: Usa as vantagens de ambos os tipos, é a maioria dos carros híbridos no mercado. Podem operar no modo combustão ou elétrico.

Alguns veículos híbridos combinados são plug-in, as baterias podem ser recarregadas em um posto de recarga como se fosse elétrico.

Desvantagens

Apesar de serem mais eficientes, confortáveis e sustentáveis por emitirem menos gases, do que os veículos a combustão; têm desvantagens como:

  • Preço muito elevado, devido à complexidade da arquitetura e construção;
  • Alto custo de manutenção;
  • Maior peso das baterias e menor tanque de combustível;
  • Limitação das baterias;
  • Em caso de acidente, os passageiros podem ser expostos a fios de alta tensão.

Veículo híbrido da Itaipu Binacional

A Itaipu Binacional e empresas parceiras construíram o primeiro ônibus híbrido a etanol do mundo, o OEHE.

Este ônibus transportou 11 chefes de estado na 40° Cúpula de Presidentes do Mercosul e Estados Associados em 2010. Cada empresa construiu uma parte do ônibus.

  • O chassi de 3 eixos com suspensão pneumática foi fabricado pela Tutto;
  • A carroceria de 3 portas foi feita pela Mascarello;
  • A Mitsubishi forneceu o motor flex a combustão V6;
  • O gerador síncrono tipo brushless foi construído pela WEG;
  • As baterias de cloreto de sódio foram fornecidas pela Zebra;
  • O inversor de tração com encoder foi construído pela WEG;
  • O motor elétrico de tração é assíncrono e trifásico, também veio da WEG;
  • O sistema de ar condicionado foi fabricado pela Euroar;
  • A WEG construiu o sistema inversor auxiliar.

 

Print Friendly, PDF & Email
Liked it? Take a second to support Electrical e-Library on Patreon!

About Pedro Ney Stroski

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *