Automação, Energia, Magnetismo, Mecânica, Motores, Museus, Visitas

Museu WEG de ciência e tecnologia (Parte 2)

Nesta segunda parte do museu WEG, é mostrado o processo de fabricação dos motores elétricos. O que é mostrado neste post não é tudo que o museu tem.

O botão abaixo leva à primeira parte do museu WEG de ciência e tecnologia.

museu WEG (Parte 1)Clique aqui

Processos de fabricação

Esta área do museu WEG mostra os processos de fabricação das peças dos motores.


Esta é uma tela de toque interativa que apresenta os processos envolvidos em cada parte do motor.

Fundição

Na fundição, um material metálico é derretido e despejado em um molde até solidificar. O molde deve ter um ponto de fusão (temperatura de derretimento) maior que o do material da peça. Se o ponto de fusão do material for muito alto, o molde é feito de areia resinada ou um material chamado areia verde. O molde é chamado de negativo e o modelo é o positivo. Estes são modelos externo e interno da tampa traseira do motor W22 respectivamente.

Estes são os moldes (negativos) externo e interno da tampa traseira do W22 respectivamente.

Os moldes são encaixados, criando um espaço vazio para preencher com o metal derretido. Este fica com o formato da peça projetada.

Depois da solidificação da peça, esta é desmoldada, limpa por jatos de areia ou granalha de aço e vai para a rebarbação para remover canais por onde entrou o metal fundido e rebarbas (partes que não foram bem acabadas).

Furadeira

Para fazer furos em peças, as furadeiras podem usar brocas cilíndricas ou cônicas, alargadores cilíndricos ou cônicos, escariadores, rebaixadores, etc. Esta é uma furadeira de coluna.

A tampa antes e depois de ser furada.

Rosqueadeira

Esta máquina serve para fazer roscas internas. Também existem rosqueadeiras que criam roscas externas. O movimento do avanço de corte deve ser igual ao passo da rosca.

Torno

Cria superfícies cilíndricas ou cônicas, internas ou externas. O tarugo é fixado para girar e o instrumento de corte fica em um carro móvel, que se desloca em paralelo ao eixo do cilindro. A ferramenta de corte faz movimentos axial e radial.

Aqui é um tarugo antes, na esquerda, e depois, à direita, de ser usinado no torno.

Fresadora

Esta máquina faz cortes em superfícies metálicas. Esta é uma fresadora importada da Alemanha em 1973.

À esquerda é um eixo de motor elétrico W22 que não foi para a fresadora e a direita é o mesmo eixo depois de ser processado. Repare a diferença entre os eixos na parte de baixo da figura.

Estampagem

As lâminas do núcleo de ferro são feitas na estampagem. Chapas finas de aço são cortadas, dobradas e/ou embutidas. Esta é a máquina que executa esta tarefa, fabricada pela Schuller.

Lâminas de aço para o rotor e estator.

Fazendo a gaiola de esquilo

Aqui é o processo de fabricação da gaiola de esquilo. A figura abaixo mostra o pacote das chapas de aço já estampadas e o rotor no molde de injeção de alumínio.

O rotor com alumínio injetado e a gaiola de esquilo.

Trefilação

Como os fios de cobre são feitos? Por um processo chamado trefilação. É usada uma força de tração contra uma série de trefilas, cada uma com uma seção menor que a anterior até obter o diâmetro desejado do fio.

Bobinadeira

Este equipamento faz o enrolamento de fios de cobre ou alumínio, criando bobinas para motores, geradores e transformadores. Atualmente o processo de enrolamento é totalmente automatizado.

Balancim

Também chamado de prensa de fuso, é usada para fazer força de compressão na montagem dos componentes. É versátil, mas tem baixa produtividade e é acionado manualmente.

O balancim é usado para colocar o eixo no rotor.

Pintura

A pintura serve para proteção contra desgaste da carcaça, umidade, corrosão e eletrostática. Aplica-se a tintura de base e depois a de acabamento. Cada pintura tem uma proteção diferente.

Montagem do motor

Após a fabricação das peças, o motor é montado e depois vai para testes finais. Primeiro as bobinas são colocadas no estator por bandagem, este processo hoje é automatizado.

O estator fica completo, posto na carcaça, depois o rotor é inserido com a tampa traseira.

O rotor é colocado no estator, os terminais são feitos, a outra tampa é colocada e o motor está pronto para os testes finais.

No próximo post sobre energia, mostrarei a parte do museu que conta a história das máquinas elétricas.

 

Liked it? Take a second to support Electrical e-Library on Patreon!

About Pedro Ney Stroski

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *