Espaço, Exploração, Geologia, Notícia

A missão Chang’e 5

A missão Chang’e 5 da China extraiu amostras da Lua e esta trazendo para a Terra. A última missão desta natureza foi a Luna 24 da USSR, em 1974.

A importância da missão

Fonte: The Planetary Society (Traduzido para o Português)

As manchas e crateras que você vê na Lua são cicatrizes de uma época traumática do nosso sistema solar. Asteroides e cometas acertaram a Terra e a Lua, provavelmente trazendo água, ajudando a vida a se firmar e florescer.

O que aconteceu ainda está em debate. Felizmente, cientistas podem juntar as peças da história da Lua, estudando a idade e a composição de diferentes regiões lunares. Enquanto espaçonaves podem coletar dados valiosos, alguns experimentos científicos só podem ser feitos na Terra com instrumentos que são muito grandes e consomem muita energia para voar no espaço. Experimentos baseados em Terra podem ser repetidos em vários laboratórios e as amostras podem ser guardadas para futuras gerações examinarem com tecnologia mais avançada.

A missão Chang’e 5 da China (嫦娥五号) retornará para a Terra com a amostra mais nova encontrada. A espaçonave pousará em Oceanus Procellarum, o Oceano das Tempestades, uma região cinza-escuro no noroeste da Lua, do lado visível da Terra. O local de pouso específico, perto do monte Mons Rümker, de 70 quilômetros de largura, pode ter rochas e solo de apenas 1,2 bilhão de anos, formados por um evento vulcânico que cobriu a superfície subjacente. São mais novas que as amostras trazidas por astronautas do programa Apollo, com idade entre 3,1 e 4,4 bilhões de anos. 

Estudando as amostras que se formaram relativamente tarde na história da Lua, cientistas serão capazes de entender melhor o que estava acontecendo na Lua quando organismos multicelulares já estavam presentes na Terra. Sabendo da história da Lua, ajuda a entender como a Terra e outros mundos evoluíram no nosso sistema solar. 

Linha do tempo da missão Chang’e 5

  • O lançamento ocorreu em 23 de Novembro, em um foguete Longa Marcha 5, que decolou do Centro de Lançamento Espacial Wenchang, na ilha Hainan.
  • Em 29 de Novembro, a Chang’e 5 entrou na órbita lunar.
  • O módulo lunar pousou em 1° de Dezembro e foi publicada esta imagem panorâmica de alta resolução, logo após o pouso. 
imagem da Chang'e 5
Mesma fonte da notícia. Clique na imagem para ampliá-la.
  • Após coletar 2 kg de amostras e colocar a bandeira da China, o módulo lunar deixou a Lua, em 4 de Dezembro.
Bandeira posta por Chang'e 5
Fonte: UPI.
  • No dia 5 de Dezembro, acoplou-se em órbita com o módulo orbitando a Lua, para transferir as amostras lunares.
  • Em 8 de Dezembro, as 7:30 da manhã no horário de Beijing, o módulo lunar retornou para a Lua. 
  • É previsto que a espaçonave chegue à Terra nos dias 16 ou 17 de Dezembro, pousando na Mongólia Interior.
Infográfico da Chang'e 5
Infográfico da Chang’e 5. Mesma fonte da notícia.
Liked it? Take a second to support Electrical e-Library on Patreon!

About Pedro Ney Stroski

1 thought on “A missão Chang’e 5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *