Automação, Espaço, Exploração, Geologia, Notícia

Descoberta da Zhurong

A sonda Zhurong encontrou sulcos e gravuras em rochas marcianas, mostrando como o tempo e as águas antigas mudaram a superfície de Marte.

Informações sobre a Tianwen-1, missão da qual faz parte a Zhurong.

O rover Zhurong chega à MarteClique aqui

Tianwen-1Clique aqui

Fonte: Space.com (Traduzido para o Português)

O rover chinês Zhurong pousou na Utopia Planitia, uma bacia de 3300 km de largura no hemisfério norte de Marte, em Maio de 2021. Desde então, o rover tem estudado a geologia local, composição química das rochas e as condições do tempo usando 6 instrumentos científicos.

Um novo estudo baseado nos dados coletados pela Zhurong nos 60 primeiros sóis (aproximadamente 62 dias terresters), revelam como o clima e a interação com a água alteraram as rochas na região do local de pouso por milhões de anos.

No estudo, uma equipe de pesquisadores liderada por Liang Ding do Instituto Harbin de Tecnologia no norte da China, usou imagens das câmeras de navegação e topografia do rover (NaTeCam) para olhar a estrutura das rochas. Em muitas rochas estudadas, os pesquisadores encontraram sulcos e gravuras de partículas levadas pelo vento e também, flocos que parecem ser evidências de interações com água ou salmouras.

vista do Zhurong
Visão panorâmica do rover, mostrando os painéis solares e a antena parabólica do Zhurong. Mesma fonte da notícia.

“As texturas nas rochas observadas no local indicam a presença de intemperismo físico, como por exemplo, pulverização de impacto, erosão eólica, potencial intemperismo de congelamento e degelo e, de interações aquosas envolvendo sal e salmoura”, disseram os autores no paper, acrescentando que o local oferece oportunidades para investigações de acompanhamento.

“Esses locais de rochas e solo fornecem excelentes oportunidades para espiar a história aquosa e a evolução climática das planíceis do norte, e lançar luz sobre a evolução da habitabilidade de Marte.”

Os dados químicos podem ajudar a fornecer mais informações sobre o que está acotecendo na área. Zhurong possui um instrumento de espectroscopia induzida por laser (LIBS), que pode disparar lasers para criar uma pequena quantidade de plasma a partir do alvo e analisar a sua composição. O novo paper não mostra nenhum dado do LIBS, nem declara se foi coletado das rochas.

A China está planejando uma missão de retorno de amostras a Marte, potencialmente será lançado em 2028, mas ainda não há informações sobre os locais de pouso candidatos.

A sonda Viking 2 da NASA pousou no norte da Utopia Planitia em 1976 entre muitas rochas, enquanto a Zhurong está operando em um terreno muito menos complicado.

O Zhurong já completou sua missão primária de 90 sóis. Mas o rover continua indo para o sul do local de pouso, coletando dados.

O orbitador Tianwen-1, que transportou Zhurong da Terra até Marte, marcou o seu primeiro aniversário em órbita ao redor do Planeta Vermelho no dia 10 de Fevereiro. O orbitador começou a sua missão científica em Novembro, enquanto ajudava a retransmitir dados do rover para a Terra.

O paper foi publicado nesta terça-feira (dia 7) na revista Nature Geoscience.

Liked it? Take a second to support Electrical e-Library on Patreon!

About Pedro Ney Stroski

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *